sábado, 13 de agosto de 2011

Van Halen: 10 Cds Inesquecíveis Que Mudaram Minha Vida !!!!!

De ricardo5150.blogspot.com:

Por Ricardo 5150

10 Cds Inesquecíveis Que Mudaram Minha Vida !!!!!

Pra quem está entediado com esta onda de chuva que anda pelo nosso país e está sem opção pra sair na balada, o melhor a se fazer neste caso mesmo é ficar em casa navegando na net, assistindo um bom filme ou curtindo boa música. E vocês sabem que música é comigo mesmo...


Mas falar de música chega a ser complicado, afinal de contas, dizem que sobre: mulher, religião, política, futebol e música (esqueci de algum?) não se discute. Pois eu acho que se discute sim, e é uma discussão muito sadia.


Vamos partir do seguinte princípio... A música se divide em 2 tipos: a que foi feita pra se ouvir e a que foi feita pra dançar. A que foi feita pra se ouvir, se subdivide ainda em 2 tipos: a instrumental e a lírica.


A outra é a que foi feita pra dançar, então se trata apenas de rítmo. A música feita pra ouvir segue por vários estilos, todos sabem: jazz, rock, mpb, pop, clássico, etc. E é sobre este lado da música que pretendo abordar.


Só lembrando aos amigos leitores que aqui me acompanham, que uso este BLOG apenas para expor minha opinião, não que seja o certo a se fazer ou a ser lido. Nunca fui e nem serei o dono da razão!


Bem, costumo associar a música com meu passado glorioso, é claro então, que darei dicas sobre alguns CDs que marcaram minha vida, nada contra o que é recente, claro...


Se "quem vive de passado é museu", então eis que vos fala aqui, um museu ambulante! Mas coerência não me falta, como prova disso cito o COLDPLAY que está aí, fazendo sucesso e com boa música.

Eis as pérolas (não por ordem de importância):

1- Van Halen (VAN HALEN)

Se existe um cara suspeito pra falar desta banda, este cara sou eu, todos sabem, mas é impossível não falar sobre esta banda e sobre este inacreditável CD. Sim, eu disse inacreditável, pois nunca se tinha ouvido uma guitarra tão avassaladora como a de EDDIE VAN HALEN usada neste álbum, e com pouquíssimos recursos, mas usados de maneira tão impressionantes. O guitarrista assombrou o mundo com o solo ERUPTION, considerado até hoje como um dos melhores de todos os tempos! O Sr. Van Halen mostra novas técnicas de como tocar o instrumento e ainda aperfeiçoou tudo o que o mestre JIMI HENDRIX havia inventado em se tratando de lutheria. Prato cheio de riffs e um verdadeiro show de técnica e quem sabe até, ousadia, pois na época nunca se tinha visto nada parecido... Simplesmente obrigatório em nossa coleção esta aula de EDDIE VAN HALEN acompanhado pela pesadíssima cozinha de MICHAEL ANTHONY (baixo), ALEX VAN HALEN (bateria) e a performance fenomenal de DAVID LEE ROTH (diga-se um cantor loiro com voz de negro) quando no palco!


2- Selling England By The Pound (GENESIS)

Falar do GENESIS é sempre bom, uma banda totalmente inovadora na época, com músicos graduadíssimos e por sobreviver a várias mudanças, épocas e fases. Este é o penúltimo álbum com PETER GABRIEL nos vocais e talvez o que contenha o maior número de clássicos da banda. TONY BANKS, o tecladista, mostra tudo o que sabe e mais um pouco dominando toda a arte dos teclados e sintetizadores com músicas longas e instrumentais difissílimas de serem executadas! Aparecia então, o grande PHIL COLLINS, que até então era apenas o baterista da banda mas que cantava sua primeira música "More Full Me". Um disco genial, bom de se ouvir e obrigatório na coleção dos que apreciam os bons sons.


3- Nevermind (NIRVANA)

Considero o NIRVANA como o THE DOORS dos anos 90, claro que não fazendo a comparação, mas em se tratando de atitude. Um dos pouquíssimos álbuns dos anos 90, senão o único, a entrar para a galeria dos clássicos. Um álbum bem dosado, com pitadas de som pesado e som comercial. Um jeito simples de se fazer música, mas eficiente, exemplo disso é COME AS YOU ARE que com o riff inicial mostrou que ainda nos anos 90 podia se fazer aquilo. Mas recomendo só em certas horas do dia, já imaginou você saindo do trabalho totalmente estressado e colocando esta paulada nas orelhas no som do carro?


4- Animals (PINK FLOYD)

Pareço louco ao escolher este álbum como meu favorito da banda, mas talvez seja o menos enjoativo de todos. Sim, enjoativo, pois esta banda é a que possui o disco mais vendido de todos os tempos até hoje: DARK SIDE OF THE MOON (ou PRISMA, como é apelidado). Se este ainda é o mais vendido, então pode-se ter uma noção do quanto é executado e o quanto eu mesmo o ouvi. ANIMALS é um verdadeiro clássico no estilo progressivo com apenas 5 músicas, que são longas, mas instrumentalmente impecáveis. Destaque para a sensacional DOGS com seus quase 20 minutos de pura viagem! O curioso deste álbum mesmo foi a capa, que na época era uma antiga fábrica em Londres onde aparecia entre duas de suas torres um porco voando. Diz a lenda, que para fazerem tal foto, havia sido construído um enorme dirigível em forma de porco e que teria se desprendido do cabo em que estava amarrado e sumido pelos céus afora durante a sessão de fotos. Um piloto de avião que passava com sua aeronave por perto teria se comunicado com a torre: "Alô, torre? Acabo de ver um porco voando bem na minha frente!" Histórias do PINK FLOYD...


5- Moonmadness (CAMEL)

Mas onde é que eu estava com a cabeça quando jovem que nunca tinha ouvido esta banda maravilhosa? Mas sorte minha de tê-la conhecido ouvindo um de seus álbuns mais recentes, mais fraquinhos eu diria, após sair de um show dos caras em Belo Horizonte. Mas qual banda não teve seus altos e baixos? O CAMEL não é exceção, mas se não fosse por ter ouvido material novo da banda, não chegaria a este maravilhoso álbum, o MOONMADNESS. LUNAR SEA é faixa exemplo de como se faz música instrumental com genialidade, com mudanças de rítmo e solos belíssimos, fazendo-se pensar em uma pequena música como se fosse dividida em várias partes. PETER BARDENS, o tecladista, mostra o porquê dos fãs simplesmente o idolatrarem até hoje, um verdadeiro mago dos sintetizadores. Prova disso que, quando saiu da banda foi fácil notar a mudança de sonoridade da banda e em certo ponto até de estilo. Será que o cara era fera e foi muito influente?


6- The Number Of The Beast (IRON MAIDEN)

O primeiro álbum com BRUCE DICKINSON nos vocais calou a boca dos antigos fãs da banda que protestavam pela saída do então cantor PAUL DI'ANNO. Considerado um clássico absoluto do HEAVY METAL, o disco vem recheado de pancadas como THE PRISIONER e a faixa de mesmo título do álbum que até hoje é tocada em todo show da banda obrigatóriamente. O curioso deste álbum foram os inúmeros protestos feitos pela mídia e por religiosos fanáticos pelo simples fato de conter letras sobre o tão repudiado capeta. Ora, o que tem demais nisso, afinal de contas são letras que retratam absolutamente o mesmo assunto do apocalipse de São João do então conhecidíssimo livro chamado de Bíblia. Se não podem ouvir o disco então não leiam a Bíblia!


7- Destroyer (KISS)

O KISS chocou o mundo com seu visual maluco! Afinal de contas, qual outra banda que pintava o rosto com maquiagens representando personagens a ponto de escondê-los de sua própria identidade? Que banda teria uma bateria em cima de um canhão disparando tiros contra a platéia, sangue escorrendo pela boca, cantor cuspindo fogo, guitarrista dando vôos rasantes, maior fã clube do mundo (KISS ARMY) e jogos de luzes capazes de "bronzear" qualquer pessoa por mais morena que fosse? Só o KISS mesmo, mas além de um visual espetacular a banda conseguiu criar pérolas da música como o belíssimo álbum DESTROYER. Um rock bem feito, pesado e ao mesmo tempo com músicas até orquestradas e com piano, caso da belíssima BETH cantada pelo baterista da época, PETER CRISS. A KISSMANIA foi tão grande a ponto dos integrantes doarem seu próprio sangue para ser misturado na tinta a ser usada na impressão de sua própria revista em quadrinhos! Alguém teria pensado em uma jogada de marketing tão brilhante quanto esta?


8- Eat 'Em And Smile (David Lee Roth)

O que vou dizer de um álbum com uma banda formada por DAVID LEE ROTH (vocais), STEVE VAI (guitarra), BILLY SHEEHAN (baixo) e GREG BISSONETTE (bateria)? Pois esta foi a resposta de DAVID LEE ROTH para sua ex-banda, o VAN HALEN, que na época tinha acabado de lançar o também magnífico álbum 5150 servindo-lhes então, como uma bela "resposta". E resposta ao pé da letra mesmo, pois se você traduzir o título do álbum terá "ENGULÁ-O E SORRIA"! DAVID recrutou este time da pesada e obteve obras primas fantásticas como GOIN' CRAZY e YANKEE ROSE com o "malabarista" (acompanhe-o ao vivo e saberá o motivo deste apelido) STEVE VAI fazendo até a guitarra falar! BILLY SHEEHAN com direito a solo de baixo e tudo como em SHY BOY e ELEPHANT GUN, e ainda o batera GREG BISSONETTE que hoje possui uma discografia solo invejável! Baterista em carreira solo? É de respeitar, não?


9- Moving Pictures (RUSH)

Musicalmente falando, o RUSH é uma das bandas mais impressionantes de todos os tempos. Se você prestar atenção ao ouvir MOVING PICTURES, me dirá facilmente que a banda é composta por 5 elementos, enquanto que na verdade é formada por apenas 3 integrantes: GEDDY LEE (baixo, vocal e teclados), NEIL PEART (bateria) e ALEX LIFESON (guitarra). Qualquer pessoa por mais leiga que seja, conhece a faixa TOM SAWYER, afinal de contas quem é que não assistia ao seriado PROFISSÃO PERIGO (com o personagem MAC GYVER)? Ainda me lembro de alguém me perguntando: "Pô cara, essa não é a música do Mac Gyver?''. Mas deixando este fato engraçado de lado, ouça YYZ, uma incrível faixa instrumental e descobrirá porque NEIL PEART é considerado de longe o melhor baterista do mundo de todos os tempos! O disco ainda espanta com a longa THE CAMERA EYE e mostra que é possível fazer um som progressivo sem deixar de lado o bom e velho rock n' roll, como em VITAL SIGNS. Quanto à GEDDY LEE, é indispensável comentar sobre suas performances ao vivo tocando baixo, teclado e cantando ao mesmo tempo. Alguém aí já experimentou chupar cana, mastigar chicletes e assoviar ao mesmo tempo?


10- The Very Best Of (SUPERTRAMP)

O SUPERTRAMP jamais poderia ficar de fora desta minha lista! Os vocais de ROGER HODGSON sempre foram inconfundíveis e servem de exemplo para o vocalista do BEE GEES, BARRY GIBB, que usava de faucetes para se atingir notas altas. ROGER nunca precisou fazer isso e ainda mostra ser outro garoto prodígio nos palcos, cantando, tocando guitarra e piano. Ao lado de ROGER, RICKY DAVIES liderava a banda que traz nesta maravilhosa coletânea grandes clássicos como DREAMER, TAKE THE LONG WAY HOME, IT'S RAINNING AGAIN e outras... Eis um álbum que deve estar sempre no porta-luvas do carro, pois obras primas como esta podem ser ouvidas em qualquer hora do dia e em qualquer lugar! Lindo...


Fazendo um comentário final...

Quase impossível relatar todos os álbuns que marcaram minha vida, escolhi estes que hoje considero os mais importantes e que me trazem boas lembranças. Espero que tenham ou tiveram, a oportunidade de ouvir cada um deles, com exceção de MOONMADNESS (CAMEL) e SELLING ENGLAND BY THE POUND (GENESIS), todos são bem fáceis de se encontrar, até mesmo nas míseras e pobres (infelizmente) lojas desta grande cidade que é Sorocaba.

Ricardo M. Freire

Nenhum comentário:

Postar um comentário