segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Eddie Van Halen: O Que é, e Como é Ter Um Ídolo?

De ricardo5150.blogspot.com:

Por Ricardo 5150:

O que é, e como é ter um ídolo?
Ter um ídolo é coisa natural, simplesmente acontece. Parece até que não escolhemos pela pessoa. É como que apaixonar-se por uma mulher, simplesmente não escolhemos mesmo, a coisa acontece e quando vamos ver já estamos "contagiados".

Comigo não foi diferente... Todos sabem que sou fanático pela banda VAN HALEN, e assim inevitávelmente, e como consequência, meu ídolo tinha que ser alguém da banda, no caso o guitarrista EDDIE VAN HALEN. Mas não estou aqui pra falar do cara (se fosse para eu falar dele, seriam necessários uns 3 blogs como este) e sim para falar sobre o que é esse sentimento estranho, esta "doença". Sim, digo doença porque minha própria mãe dizia isso: "Fanatismo é doença!", e ela estava certa, pra variar (aliás, já viram mãe errar alguma vez?) ...
Tenho duas visões do que seja ter um ídolo. Talvez seja a personificação de um sonho, ou um vício de que não se consegue sair. Curioso é que existem pessoas que adoram estátuas e rezam à elas. Mas segundo a Bíblia é proibida esta prática porque só Deus é digno de receber adoração e só Ele tem o poder para responder a oração. Mas deixemos a religião de lado...

Comigo aconteceu por volta de 1984, eu tinha apenas 12 anos de idade, mas me lembro claramente. Eu estava em casa, era um domingo qualquer, estava assistindo ao FANTÁSTICO (programa da REDE GLOBO) quando aparece ninguém menos que o lendário apresentador CID MOREIRA anunciando o próximo video clip: "JUMP" da banda VAN HALEN (veja tópico sobre a música neste blog mais abaixo) ! De repente entre os saltos mortais, piruetas e acrobacias do loirão DAVID LEE ROTH (vocalista da banda), eis que surge um baixinho cabeludo sorridente, vestido aos farrapos, empunhando sua guitarra estranha (toda remendada e com pintura cheia de listras), lenço no pescoço e cigarro preso ao headstock da guitarra! Lembro-me de um comentário de meu pai: "Oloco, quem são esses caras ?" E pronto, aconteceu! Eu estava hipnotizado perante a performance assustadora do baixinho cabeludo sorridente. Em 1987, quando estive nos EUA na casa de um tio, meu primo tinha um show da banda em VHS e me mostrou. Fiquei mais perplexo ainda!
EDDIE VAN HALEN me passa algo diferente, me transmite simplicidade, sei lá, como se fosse um cara legal e que simplesmente estivesse lá por apenas gostar de tocar guitarra.

Quando temos um ídolo (sem ser religioso), creio que é como se a pessoa fosse nossa alma gêmea e de um certo modo nos faz querer ser eles mesmos, e fazendo o que fazem e do modo como fazem. Resumindo, como se nosso ídolo fosse quem a gente gostaria de ser. Incrível, parece que tudo o que fazem é legal, tanto na maneira de se vestir, de falar, de gesticular, de agir...
Muitas pessoas se envergonham e se sentem constrangidas em admitir que têm um ídolo, talvez com medo de serem taxadas de alguma coisa do tipo "infantil". Eu assumo e sinto até um certo orgulho, afinal de contas o que tem de mais em termos um ídolo?

Uma coisa é certa, haja dinheiro! Eu particularmente coleciono tudo o que se diz respeito ao guitarrista desde 1984. Fotos, posters, bonés, CDs, camisetas, pastas com recortes de matérias, revistas, livros, botons, jaquetas, chaveiros e até algumas réplicas de seus principais instrumentos... Alguém pode até achar isso tudo um tanto quanto ridículo, mas lhes garanto que é preferível gastar dinheiro com este hobby do que com drogas e outras porcarias do tipo! Afinal de contas, como diz o ditado: "cada um com sua loucura"!
 
Então podemos dizer que ter um ídolo é saudável?

Ricardo M. Freire.

Nenhum comentário:

Postar um comentário